Instituto

Projetos


PROJETO CRESCER – CIDADANIA, ÉTICA E RESPONSABILIDADE

OBJETIVOS

Desenvolver potencialidades de adolescentes e jovens entre 16 e 18 anos, com o Ensino Médio completo ou matriculado na Rede Pública de Ensino da cidade de Itajaí, SC, em situação de vulnerabilidade social e econômica, proporcionando a estes condições de participarem na sociedade como profissionais e como cidadãos. Estimular a responsabilidade social de empresas e proporcionar formação profissional a jovens e adolescentes de baixa renda, respeitando sua condição como pessoa e auxiliando no seu processo de desenvolvimento, a fim de que exerça seus deveres e faça jus aos seus direitos como cidadão.

Sendo o desemprego uma das facetas mais perversas da negação da cidadania, as preocupações com a empregabilidade de jovens se apresentam como uma das principais ações a serem desenvolvidas para que esta realidade possa mudar. A situação da juventude brasileira no que se refere ao acesso a oportunidades de trabalho digno se mostra bem mais grave na medida em que se diminui a renda e a escolaridade desses jovens. A inexistência de formação, qualificação e experiência profissional prévia, que por si só já impactam negativamente no desenvolvimento intelectual, cognitivo e psíquico, é mais um entrave à obtenção de postos de trabalhos dignos. A matrícula no Ensino Médio só na cidade de Itajaí é de, aproximadamente, 6.000 alunos por ano – este é o público foco das atividades do Projeto Crescer – são adolescentes e jovens que não têm condições financeiras de acessar a universidade e com muitas dificuldades de ingresso no mercado de trabalho por falta de formação básica, ficando assim, na vulnerabilidade e em situações de risco social. O Projeto Crescer atende atualmente 60 alunos, divididos em três turmas e, considerando a demanda e a intensa procura, vê a importância e a necessidade de ampliar a oferta de vagas baseado nos resultados atingidos até então.

PROJETO CRESCER – CONVERSANDO COM ADOLESCENTES

OBJETIVOS

O objetivo deste projeto é desenvolver uma ampla campanha de conscientização e prevenção em saúde, com foco na gravidez precoce e doenças sexualmente transmissíveis , por meio da qualificação de adolescentes multiplicadores para atuar junto aos alunos matriculados no Ensino Médio e na rede pública de Itajaí.

O Projeto Crescer Conversando com Adolescentes visa qualificar adolescentes multiplicadores para a conscientização e prevenção em, saúde, com foco na gravidez precoce e doenças sexualmente transmissíveis para atuar junto aos alunos matriculados no Ensino Médio e na rede pública de Itajaí. Visa também promover a comunicação entre os pares – adolescentes conversando com adolescentes – sobre sexualidade no que tange às suas dúvidas, suas descobertas, incertezas e transformação para a vida adulta, tendo a prevenção como a alternativa eficaz para problemas dessa magnitude. Entre as atividades desenvolvidas para a formação dos multiplicadores estão: aulas sobre saúde e sexualidade ministradas por profissionais da área de Saúde Pública, aulas de Comunicação e Expressão, oficinas de teatro, palestras educativas, elaboração de folheto, visita aos postos de saúde, realização de atividades lúdicas e teatro com o objetivo de sensibilizar os adolescentes para o tema Saúde na Adolescência e Gravidez Precoce. As atividades incluem identificar os riscos a que os adolescentes estão expostos e a consequente adoção de um comportamento mais seguro. Foram qualificados 60 adolescentes multiplicadores que atuaram junto a alunos da rede pública de Ensino. A conversa entre os pares foi avaliada pelos educadores como uma das melhores e mais abrangentes formas de comunicação para a tomada de consciência sobre os métodos de prevenção. A comunidade demonstrou, através de depoimentos, uma grande aceitação na discussão dos temas propostos. Nas oficinas, os participantes demonstraram interesse e necessidade de sanarem suas dúvidas e conflitos. A família demonstrou grande interesse de participação e foi por meio da comunicação entre os pares que os resultados alcançados foram mais eficientes e as informações de prevenção mais seguras.

O surgimento do Instituto Crescer foi motivado pela situação em que se encontravam os jovens na faixa etária dos 16 A 18 anos no município de Itajaí à época da sua criação. Em 2003, o município contava com uma população aproximada de 12.500 jovens entre 16 e 18 anos,estudantes de escolas públicas, com uma parcela de 75% dos mesmos em situação de vulnerabilidade socioeconômica, a maioria oriundos de famílias cuja renda per capita não atingia meio salário mínimo. A situação de vulnerabilidade social gera também grande risco aos adolescentes no que diz respeito a doenças sexualmente transmissíveis e gravidez precoce. Segundo a Prefeitura Municipal de Itajaí, os índices de gravidez na adolescência são os seguintes:

ÍNDICE DE GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA Regional de Itajaí :

Nascidos Vivos segundo a Idade da Mãe
10 a 14 anos = 2005 – 37/ 2006 – 32 / 2007 – 42 / 2008 = 41 / 2009 = 7
15 a 19 anos: 2005 = 1.164 / 2006 = 1.253 / 2007=1.223 / 2008 = 1.241 / 2009 = 378

Por exemplo, a cidade de Itajaí

10 a 14 anos: 2005 = 14 / 2006 = 10 / 2007 = 13 / 2008 = 12 /2009 = 3 2010=23
15 a 19 anos: 2005 = 433 / 2006 = 457 / 2007 = 467/ 2008 = 471 / 2009 = 143 / 2010 = 674

Esse panorama é preocupante porque a gravidez na adolescência é indicativo de evasão e repetência escolar, dificuldade de inserção social, além de ser um indicador fundamental de iniciação sexual cada vez mais cedo e da não pratica de sexo seguro, ou seja, o não uso do preservativo e outros métodos contraceptivos.(Fonte: Quanto Custa um Bebê.

Disponível em http://www.slideshare.net/eloziab/quanto-custa-um-beb-ppt)

Mas não é só a gravidez na adolescência que preocupa. Os números de incidência de HIV em gestantes no Brasil mostram que a região Sul é a que mais se destaca, conforme o quadro abaixo:

Em Santa Catarina, a maioria dos casos de HIV/AIDSocorre em pessoas que se encontram entre a 5ª e 8ª série, como demonstrado no gráfico abaixo, justamente o público que o Instituto Crescer procura atender.

Casos de AIDS Identificados em SC – Período 2009-2013

Estando em sintonia com as necessidades da sua comunidade, o Projeto Crescer Conversando com Adolescentes se mostra como um importante aliado do poder público na luta contra a AIDS (Objetivo de Desenvlvimento do Milênio n. 6), a gravidez precoce e as doenças sexualmente transmissíveis.

PROJETO CRESCER – JOVENS ACOLHEDORES

OBJETIVOS

Este projeto pretende promover a participação de adolescentes no acolhimento de usuários nos serviços de saúde, com vistas a contribuir com a instauração de processos de aproximação humanizada entre usuários e profissionais da saúde, familiares e demais pessoas que busquem os serviços de Saúde. O projeto provê boas práticas de acolhimento, o que significa “acolhida, ato ou efeito de acolher, refúgio, abrigo, agasalho, atenção, consideração”(FERREIRA, 1999, p.38). Os adolescentes serão preparados para atuarem como acolhedores, ou seja, aqueles que promovem o encontro do usuário com a instituição de saúde, por meio de atitude cuidadosa, disponível para uma escuta aberta às necessidades do usuário, tendo capacidade de orientar sua inclusão no sistema de saúde. A prática do acolhimento propicia a organização da “porta de entrada” do usuário no serviço, reduzindo seu deslocamento desnecessário dentro da instituição. As evidências indicam que o ponto mais destacado pela população como insatisfatório no atendimento dos serviços de saúde é a atenção impessoal e fragmentada no atendimento, advindos de uma infinidade de mal entendidos e dificuldades enfrentados pelos usuários e trabalhadores no ambiente dos Serviços de Saúde, que podem ser minimizados quando se ouve, compreende, acolhe, considera e respeita. Tanto os usuários quanto aqueles que cuidam são atores essenciais para a Humanização. Este projeto resulta da constatação de que a evolução técnico-científica deve ser acompanhada de um correspondente avanço na qualidade da informação e do contato humano. A importância das relações interpessoais é muito maior nas instituições de Saúde que em qualquer outro serviço porque quem precisa desse tipo de atendimento, em geral, está mais vulnerável, inseguro, desinformado, não sabe onde e como são os procedimentos e serviços. Enfim, as pessoas estão mais fragilizadas e particularmente suscetíveis a uma abordagem desatenta, a ficar andando de um lado para o outro, sem saber o que fazer (RIOS, 2009).

Com a finalidade de minorar estes problemas o Ministério da Saúde implementou em 2003 a Politica Nacional de Humanização implementada pelo Ministério da Saúde em 2003. Nela se destaca como acolhimento a recepção do usuário, a partir de sua entrada nos serviços de saúde, com agilidade, resolutividade e qualidade (BRASIL,2004).

Para que a relação com o usuário ocorra de forma humanizada, é necessário o desenvolvimento da capacidade de dialogar com o outro, que se destine atenção à escuta das demandas por informações e orientações advindas do usuário de forma resolutiva, utilizando a comunicação e relacionamentos interpessoais como principais recursos. Esta socialização e esta oportunidade de fazer o bem também enriquecem a experiência e a vida de cada um. Portanto, a qualidade da atenção, o interesse e a responsabilidade são aspectos enfatizados e que devem estar presentes desde o momento em que as pessoas chegam aos serviços de Saúde e dar prosseguimento às demais atividades institucionais iniciados no acolhimento.

Por meio desta proposta busca-se, portanto, contribuir com a humanização dos serviços de Saúde no município de Itajaí, estando em consonância com a noção de protagonismo juvenil, “que significa, tecnicamente, o jovem participar como ator principal em ações que não dizem respeito à sua vida privada, familiar e afetiva, mas a problemas relativos ao bem comum, na escola, na comunidade ou na sociedade mais ampla.” (PROTAGONISMO JUVENIL, 2007). Para tal, destina-se a preparar adolescentes, por meio de módulos teóricos e práticos, a atuarem como acolhedores junto a unidades de saúde de Itajaí, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ PETROBRAS

OBJETIVOS

Se você tem interesse em participar do Programa Jovem Aprendiz Petrobras não deixe de ler este texto e saiba como funciona o processo de seleção para jovem aprendiz da maior empresa do Brasil.

Promover a inclusão social por meio de qualificação profissional esse é o objetivo do Programa Petrobras Jovem Aprendiz (PPJA). Realizado com base na Lei 10.097, de 19 de dezembro de 2000, o Programa oferece uma formação completa, constituída por três etapas:

Formação básica de quatro meses em instituições sociais conveniadas, com discussão de temas relacionados a identidade, cidadania e conhecimentos sobre a Petrobras;
Curso de qualificação profissional no Serviço nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI);
Vivência na Petrobras, com acompanhamento profissional;
O Programa tem duração de dois anos. Instituições sociais conveniadas assinam a carteira do jovem aprendiz, com o pagamento de um salário mínimo, 13º salário, férias, FGTS, além do auxilio para alimentação e transporte.

Além das admissões e do pagamento dos salários, as instituições são responsáveis pela gestão, orientação, docência, supervisão e acompanhamento de todo o programa Jovem Aprendiz Petrobras.

Durante a vivência profissional, os aprendizes terão supervisão dos gestores locais das unidades da Petrobras.

Para se inscrever no Jovem Aprendiz Petrobras, o candidato precisa:

Estar em situação de vulnerabilidade social ( a partir da renda familiar)
Ter entre 15 e 21 anos e 22 meses (para vagas das áreas administrativas)
Ter entre 17 anos e 9 meses e 21 anos e 11 meses (para vagas de jovem aprendiz nas refinarias e em laboratórios de pesquisa)
Frequentar o sistema de ensino regular;
Residir no entorno das unidades da Petrobras.

Quando serão abertas as inscrições para jovem aprendiz Petrobras?

Cada local realiza seu processo seletivo em uma determinada data, que depende do término da edição anterior ao Programa Jovem Aprendiz Petrobras. Somente após dois anos do inicio de cada edição é que as instituições e os comitês locais da Petrobras iniciam a seleção dos jovens, com novas inscrição.

Os jovens aprendizes da Petrobras 2013/2015-

Dara Flores
Fernando Cardoso de Sales
Jardiran Mava Rodrigues
Janaina Jéssica Ribeiro Costa
Luana Viana de Souza
Luiz Gustavo Fernandes da Silva

Prevista nova seleção para 2015

Responsável Legal pela Instituição Social Instituto Crescer
Movimento Cidadania e Juventude: Presidente Jair Bondicz

Responsável pelo Jovem Aprendiz Petrobras pela Instituição Social:
Sandra Mara de Andrade

Informações:-(47)-3247-5598/ 3247-559

EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO 004/2015
CLIQUE PARA VER O EDITAL


PROGRAMA DE APOIO À FAMÍLIA - PAF

O Programa de Atenção à Família (PAF) é um trabalho social de acompanhamento às famílias dos alunos dos projetos do Instituto Crescer.
Tem como objetivo contribuir com a efetivação e garantia de direitos de cidadania e promoção do desenvolvimento social, na perspectiva da prevenção e superação das desigualdades e exclusão social, tendo a família como unidade de atenção para a concepção e a implementação dos programas, projetos e serviços do Instituto Crescer.
Espera-se com este programa que os adolescentes participem de forma efetiva do processo de qualificação e emprego, dando condições para que também os seus familiares trabalhem, em conjunto com o Instituto Crescer, para enfrentar a pobreza, da fome e da desigualdade.